Pedra na Vesícula

ultrassonografia de abdome tem sido amplamente utilizada como exame de rotina, mesmo nos pacientes sem queixas abdominais, por ser um exame acessível e com mínimo risco ao paciente durante sua realização, e entre os achados mais comuns está a colelitíase.

A colelitíase, popularmente chamada de pedra na vesícula, atinge cerca de 10% da população – especialmente as mulheres, podendo subir para 30% no grupo acima dos 70 anos. Destes, a maioria nunca teve qualquer tipo de sintoma relacionado a vesícula. Todavia, a presença de cálculos (pedras) neste órgão pode levar a complicações graves, tais como:

  1. Colecisitite aguda: inflamação aguda da vesícula que necessita de cirurgia de urgência.
  2. Pancreatite aguda: inflamação do pâncreas normalmente causada por um cálculo que migrou da vesícula.
  3. Coledocolitíase: quando o cálculo obstrui o canal da bile, levando a dor, icterícia e algumas vezes infecção, chamada de colangite.

Logo, operar a vesícula pode ser uma opção interessante mesmo nos pacientes assintomáticos, uma vez que a colecistectomia (cirurgia para retirada da vesícula) por videolaparoscopia é um procedimento com baixo índice de complicaçõespadronizado e seguro, lembrando que a cirurgia sempre deve ser bem discutida com o paciente, ficando com este a decisão final de ser operado.

Escrito por Dr. José Thiago Oliveira de Carvalho

Posts Recentes

Sp5der Officialworldwide

Spider Official Worldwide is an extreme sports lifestyle brand founded in 2016. We provide our customers with the ultimate athletic attire and accessories for living

Leia Mais »